Psicoterapia e o Ciclo Vital

A psicoterapia possui grande potencial em ser promotora de mudança significativa na vida das pessoas, independente do estágio do ciclo vital em que estão.

Crianças. A criança possui maior neuroplasticidade enquanto tal, visto que as suas estruturas cognitivas ainda estão em formação. A psicoterapia, nesta fase, auxilia de uma forma preventiva, ajudando a estabelecer sinapses e conexões importantes para a vida da pessoa.

Adolescentes. A adolescência possui em si mesma uma condição psicológica e fisiológica de extremas mudanças. Ainda assim, é uma fase interessante para usufruir de uma psicoterapia, já que existe toda a energia da juventude, uma maior capacidade de adaptação cerebral do que na idade adulta e uma maior incidência de conteúdos do que os trazidos por uma criança.

Adultos. A psicoterapia na idade adulta possui um fator que pode ser decisivo para o sucesso do tratamento: a motivação para a melhora e pelo tratamento em si. No adulto o aprendizado quase sempre se refere aquilo que a pessoa tem mais propensão de utilizar na sua vida, portanto, a terapia é focada nas necessidades mais presentes do indivíduo.

Idosos. É a fase do ciclo vital de maior declinio cognitivo natural, ou seja, a pessoa tem mais dificuldades para adquirir e armazenar novas informações. Contudo, também nesta fase, são constatados sintomas de neuroplasticidade, já que a motivação para o aprendizado pode significar grandes conquistas para a pessoa. Existem pessoas que, nesta fase do ciclo vital, resolvem ressignificar algumas questões “mal-resolvidas” e adotam a psicoterapia como auxiliar desse processo, na busca de uma maior qualidade de vida.